segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Ator mexicano se converte em Hollywood e denuncia "holocausto" do aborto



MÉXICO D.F., 01 May. 07 (
ACI).O ator Eduardo Verástegui, atualmente um dos mexicanos com maior exito em Hollywood, se converteu em uma das vozes mais fortes contra a despenalização do aborto no México DF. Se reencontrou com a fé de seus pais no lugar menos esperado do planeta, e não teme o rechaço do público ao denunciar o holocausto do aborto.
Verástegui tem revelado suas convicções pró-vida em vários meios de comunicação mexicanos e criou um organização de ajuda na Califórnia para assistir pessoas necessitadas, entre elas a mulheres que buscam abortar. Sustenta que a legalização do aborto no México não é digna do espírito do povo mexicano.
Em uma entrevista concedida a revista Hola, confessou sentir-se "muito frustrado pelo que está passando no México hoje em dia. Creio que há uma manipulação tremenda na informação que se está dando ao povo mexicano. As leies não podem basear-se em uma mentira, porque o aborto é um crime. É um fato, é algo cientificamente demonstrado".
Para o ator e produtor, o aborto "é um holocausto terrível no que estão morrendo 'legalmente' milhões de inocentes... Algo tão grave, tão profundo, que vai inclusive além de qualquer filosofia ou religião".
Não há pretextos
Verástegui sustenta que não há justifitiva alguma para o aborto. "As mulheres que fação o que queiram com seu corpo... mas e a criança?. Que ocorre com o corpo do bebê, que não tem voz e não pode defenderse? Há cem anos poderia haver dúvidas, só a fé podia fazer pensar que havia vida desde o momento da concepção. Mas hoje em dia é algo cientificamente demonstrado, não há dúvidas".
Desde sua própia experiência, considera que "a maioria das mulheres que chegam até este ponto não querem faze-lo. É algo totalmente antinatural. Tenho visitado algumas clínicas e quando converso com as mulhers, a maioria diz que foram incentivadas por seu parceiros, quase nenhuma querem faze-lo, mas sentem medo, estão assustadas, se sentem sozinhas e sem recursos. Há que pensar em ajuda-las e nada mais. Há que ajuda-las a verem outras opções".
O ator deplora justificar o aborto em casos de malformações congênitas. "Se começarmos a pensar assim, em um momento voltaremos ao regime de Hitler. Te mato porque não estás o suficientemente são. Que é isso? O valor do ser humano, da vida, não está em sejas totalmente perfeito, ou deficiente mental e coxo. Não falamos de uma raça sã, falamos da dignidade do ser humano, da vida. Esta é a verdadeira questão. É uma manipualção para discutir o que por princípio é indiscutível".
Tampoco acredita que o aborto resolva o drama de uma mulher violentada. "Houve um erro muito grave por parte de alguém. Mas para sanar um erro não se pode cometer outro erro. Não se pode sofrer algo mal e pagar com algo pior. Se ocorre algo mal e se lhe soma outra coisa má, o resultado não vai ser nunca a paz e a alegria, vai ser algo pior ainda", assegura.
O atos não tem reparos para chamar "carniceiro" ao médico que pratica abortos. "Porque ele sim estudou, foi a escola, sabe oq ue faz, fez um juramento de defender a vida e neste caso existe vida e ele esta dando fim a ela, ele mete as tesouras e corta cabeças", explica.
Àquelas mulheres que consideram o aborto lhes pede "que não façam, que dentro de seu ventre há um bebê que morre de vontade de tocar seu rosto, rir para ela, chamar-lhe de mamãe e quere-la com toda sua alma. Que já existe uma vida que está criada para uma missão. Que não é dela, ainda que venha através dela. Que não é justo bloquear-lhe a visão e o caminho. Que recordem as sábias palavras da madre Teresa de Calcuta. Que no aborto há dois crimes, o do filho e o da consciência da mãe, e eu digo como ela, que os bebês que não querem ter, eu te juro, que os de para mim".

Sua conversão

Verástegui, de 33 anos de idade, saboreou a fama desde tenra idade e nos ultimos anos logrou um espaço em Hollywood. Seu mais recente filme "Bella" conquistou as críticas mais positivas.
O ator confessa que por muito tempo buscou a felicidade na fama e no êxito mas ao cabo de vários anos de perseguir este sonho se deu conta que estava "vazio".
"Em minha busca de saber o que havia mais além deste vazio, comecei a fazer a mim mesmo as grandes perguntas que todo mundo faz alguma vez na vida: Que faço neste universo? De onde venho? Para onde vou? Que sentido tem tudo isso?... e nesta busca comecei a frequentar outro tipo de gente, outro tipo de ambiente".
"Me dei conta que havia sido um egoísta. Que as coisas que me haviam feito avançar como um cego eram a vileza e a soberba. Vivia em uma contradição constante: queria fazer coisas boas e não as estava fazendo",
sustenta.
Assegura que fez algumas promesas, "não voltaria fazer nada que contradiga meus princípios morais e nada que mal represente minha gente, aos latinos, nem no cinema, nem na televisão nem em nenhum meio", disse Verástegui.
O ator recorda que seus pais sofreram quando deixou os estudos pela atuação e começou a ter uma vida licenciosa, cansada de não ser escutada, sua mãe se dedicou a rezar por ele.
"Creio que as orações de minha mãe tiveram muita influência em tudo isso. Sabe-se o que se diz: 'Não há nada mais poderoso que as orações de uma mãe por seu filhos'. Depois de ver meu caso, estou convencido disso. Toda a mudança que tenho experimentado em minha vida, as pessoas novas que se aproximaram de minhas crises, não me resta dúvidas que foram frutos das orações de minha mãe", revela.
Agora disse que está disposto a "vender tacos" em Tamaulipas, sua terra natal, se for para ser fiél a seus princípios. "Se o dia de amanhã vou casar-me e ter filhos, que meus filhos sejam orgulhosos de seu pai. Se vou levar uma vida integra, vou ser radical. Não me agrada o meio termo. Seja quem for que esteja por tras do melhor projeto, nãovou fazer nada que vá contra meus princípios porque se aceito, é o mesmo que vender-me e voltar a viver uma mentira", assegura.
Quando lhe preguntam que é o que mais aprendeu de seus pais, não demora em responder: "Minha fé. É um presente que Deus me deu através deles".

Nenhum comentário:


Fernando Rodrigues Batista

Quem sou eu

Minha foto
Católico tradicionalista. Amo a Deus, Uno e Trino, que cria as coisas nomeando-as, ao Deus Verdadeiro de Deus verdadeiro, como definiu Nicéia. Amo o paradígma do amor cristão, expressado na união dos esposos, na fidelidade dos amigos, no cuidado dos filhos, na lealdade aos irmãos de ideais, no esplendor dos arquétipos, e na promessa dos discípulos. Amo a Pátria, bem que não se elege, senão que se herda e se impõe.
"O PODER QUE NÃO É CRISTÃO, É O MAL, É O DEMONIO, É A TEOCRACIA AO CONTRÁRIO" Louis Veuillot