quinta-feira, 31 de maio de 2007

Marx roubou nossas almas.....e nossas inteligências.

Fernando Rodrigues Batista

Não me equivoquei, o termo é apropriado, foi mediante violência que tivemos nossas almas subtraídas pelo velho Marx.
Se tivéssemos Dante pôr Juiz este canalha certamente sofreria a as mais assustadores penas; quando mais, se por um capricho de nossa imaginção, considerarmos o fato inusitado de chegar perante a figura do magistrado, o magnífico Nelson Rodrigues aos prantos e dando de dedo na cara do algoz dizendo furioso: "eu quero de volta minha alma imortal".
Mas isso não é tudo. Não é o ponto nevrálgico onde queria chegar. Explico-me.
Não foi apenas nossas almas que foram roubadas, vilipendiadas, seja lá o que for, nossas inteligências também foram estupradas por Marx, mas não apenas por ele, pois também o foram por seus próceres.
Sem alma e sem inteligência restou ao homem o vácuo.
O homem foi virado ao avesso, e o pior de tudo é que ainda não se deu conta disso.
O homem atual fora vítima do processo gradativo da ação revolucionária que devastou o mundo, sobretudo, nestes últimos dois séculos, através uma capa de idéias falsas em contraste com a realidade.
Vivendo em dissociedade permanente foi inevitável o conflito entre a realidade e o mundo idealizado pelos tecnocratas, pelas sociedades secretas que se reúnem na calada da noite para criar este mundo artificial conforme lhes apeteça.
Quando a inteligência inverte seu natural movimento para a realidade, a fim de submeter a realidade às suas representações mentais, é de se esperar que a contradição se instale em todos os domínios. O mundo se põe de "pernas para o ar", como asseverou Marcel de Corte.
Por conseguinte, tornou-se naturalissimo para um universitário "boca de burro" ou um professor semi-analfabeto a morte de milhões de seres humanos vitimas da perversidade comunista, assim como entendem justo a invasão de terras de outrém desde que tenha em meta a igualdade universal entre os homens. Daí se denota tamanha a influência exercida por canalhas do estofo de um Antonio Gramci, de um Derrida, ensinamentos que lhe são impostos e aceitos sem o menor questionamento.
Se algum aluno ousado lhe disser que os recentes fatos ocorridos nos presídios de São Paulo e de quase todo Brasil faz parte um revolução socialista que se alastras em grandes proporções e que está prestes a explodir (se já não explodiu) em toda América Latina, cujas estruturas, instituições (escolas, universidades, igrejas...) foram totalmente injetadas de idéias socialistas revolucionárias, certamente será vítimas dos velhos jargão esquerdistas, ou seja, será alcunhado de desajustado, de direitista, fascista.......
Fora as orgias universitárias nossos atuais universitários e professores pseudo intelectuais nada mais fazem a não ser falar o que não sabem, vale dizer, repetem aquilo que seus "mestres" disseram.
Perdemos a alma, perdemos a inteligência e o bom senso, perdemos a capacidade de distinguir o falso do real. Para melhor compreensão da degradação espiritual e intelectual (e por conseguinte institucional) da hora presente, devemos mergulhar em suas origens, antes do velho Marx, sobretudo no pensamento do filósofo de Koenisberg*.
Perdoe-me os espíritos mais afeminados ter destinado ao amigo de Engels tão breves linhas, mas o bom entendedor sabe que o teor do presente artigo assenta bases no pensamento daquele canalha.
Paremos por aqui.

Nenhum comentário:


Fernando Rodrigues Batista

Quem sou eu

Minha foto
Católico tradicionalista. Amo a Deus, Uno e Trino, que cria as coisas nomeando-as, ao Deus Verdadeiro de Deus verdadeiro, como definiu Nicéia. Amo o paradígma do amor cristão, expressado na união dos esposos, na fidelidade dos amigos, no cuidado dos filhos, na lealdade aos irmãos de ideais, no esplendor dos arquétipos, e na promessa dos discípulos. Amo a Pátria, bem que não se elege, senão que se herda e se impõe.
"O PODER QUE NÃO É CRISTÃO, É O MAL, É O DEMONIO, É A TEOCRACIA AO CONTRÁRIO" Louis Veuillot